Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BUSSACO

PROPRIA DOMUS OMNIUM OPTIMA

BUSSACO

PROPRIA DOMUS OMNIUM OPTIMA

18
Out12

AFUNDAÇÃO BUÇACO A 44%

Peter


Porta das Lapas, casa ( para alugar?)

No relatório da avaliação feita pelo Estado ás

Fundações a Afundação familiar-socrática Mata

do Buçaco ficou-se por uns vergonhosos 44%.

Um chumbo claro, que atesta que aquilo que

se vem aqui denunciando tem razão de ser.

Apesar de toda a demagógica propaganda dos

pseudo administradores da coisa publica ,

mais alguns a contribuir  sem vergonha para

o estado a que o país chegou e os portugueses

sofrem ( lembremos que auferem milhares dos

nossos impostos para destruir a Mata Nacional

e veja-se a estrada da Cruz Alta a exemplo) a

Mata está bem pior do que quando estava nas

mãos do Ministério da Agricultura e os

visitantes são muito menos do que os que

anteriormente nos visitavam.

Contabilizado em termos de receitas turisticas

uma catastrofe.É evidente que desmandos

destes , cedo ou tarde, terão que acabar.

07
Nov11

O FIM DO VALE DOS FETOS

Peter

 

Três Fetos Arbórios secos e completamente mortos

em Vale dos Fetos, uma jóia do Buçaco.

No local, contamos dezoito nestas condições

e mais alguns a caminho dum fim rápido.

De resto, o conjunto está  num abandono total.

Depois dos azevinhos, os fetos !!!!

Tanta irresponsabilidade é demais !!!!!

 

No Pinhal do Marquês cortaram as àrvores seculares

para venda de lenha e deram lugar á infestação de

acácias que se vê na imagem. Por toda esta encosta da

Mata a acácia reina impunemente!!!!

È mais um infestante na Mata!!!!

Na Fonte Fria, um novo modelo de banco de tampo

invisivel, banco tipo Afundação, enquanto do outro

lado  mais um Feto arbório caminha para a morte.

O cisne, curioso, espreita o banco vazio.

                                                                                         

Enquanto isto  e outras barbaridades se

constatam, de forma mais subtil a Câmara da

 Mealhada tem abertos quatro concursos para

técnicos superioresde Engenharia Florestal,

Engenharia civil,Arquitetura e Comunicação Social ,

acautelando  desta forma a hipotese de

encerramento da Fundação com a colocação

da família politica nos quadrosda Câmara.

 

09
Jan11

AZEVINHO

Peter

                                                                                                                    

 

                                                                                                                       

Nesta foto ,uma  das duas maiores manchas de azevinho

existentes na Serra do Buçaco.

A outra está envolvida por acácias e inacessivel á observação.

Do trabalho acima fez parte o corte de vinte exemplares

da espécie, que é uma árvore  protegida.

A impunidade anda á solta.

O que se poderia e deveria fazer era um trilho pedonal do

azevinho,espécie em extinção que subsiste  aqui e no Gêres

mas sujeita a diversos riscos, o corte, no Buçaco, o fogo,  no Gerês.

A curiosidade dos gestores  politicos conduz a estes efeitos !!!!!

 

23
Set10

SEGUNDO CENTENÁRIO

Peter

 

            

            200 ANOS DEPOIS

 

Passam no dia 27 de Setembro

200 sobre a Batalha do Bussaco,

uma fase importante da Guerra Peninsular.

Embora  esta batalha só tenha sido validada

após a vitória definitiva de Waterloo e durante

a construção do mito de Wellington, 

que a regista no seu túmulo na Catedral

de S. Paulo, em Londres.

Seja considerada batalha ou escaramuça,

veio a  ser uma referência importante no

contexto das invasões e foi sem dúvida

um momento dificil da história pátria

e das populações que a sofreram.

A lembrança dos acontecimentos duzentos

anos após ,ainda que  limitados a um episódio 

da europa actual deveriam ser pois

um momento de reflexão

sobre o todo que somos e menos manisfestação

de exaltações exacerbadas ou de  patriotismo

serôdio que faze parte da prateleira da história.

 

(ver ,onde foi a batalha  em  http://bucaco.blogs.sapo.pt/

             http://bucaco.blogs.sapo.pt/ )

  

24
Ago10

NO PAÍS DAS MARAVILHAS

Peter

 

 

Querem por aí que a Mata Nacional do Buçaco seja uma maravilha de Portugal. Coisa mais absurda não há. Há dois séculos pelos menos a Mata Nacional é uma maravilha deste país. Mas nem sequer a palavra maravilha me parece a mais adequada para designar o espaço. Lembra-me logo o Circo Maravilhas do Manuel Guimarães, a fita Saltimbancos e as intrincadas desgraças que fazem letra no fado e lágrimas na choradeira colectiva, que são os oitocentos séculos de história que nos pertencem!

Mas traz-me por outro lado á ideia a figura encantada de Alice no país das maravilhas correndo atrás do coelho e do relógio até acordar do sono.

O senso da mentira bem contada. O sonho . Diríamos hoje, o markting perfeito se não tivéssemos respeito pela sageza e pela imaginação do escritor.

Nada disto é a Mata do Buçaco. Em primeiro lugar, não é maravilha natural. Nada tem a ver com o Parque  da Serra do Gerês, com o vale glaciário da Serra da Estrela, com o Sapal de Castro Marim ou com a Costa Vicentina.

Ao contrário destes espaços ambientais produtos da natureza, o Buçaco é um jardim botânico construído pelo homem.  Um belissimo jardim botânico, depositário de variadas espécies, sem dúvida, mas não deixa de ser um espaço burguês iniciado por frades e continuado por inquisidores e pertença do Estado desde 1834 ano em que acabaram as ordens religiosas. E o Estado, roubada a Mata á exploração dos monges que a plantaram, raras vezes soube tratar dela com decoro e dignidade.

Hoje acontece o mesmo que n'outras crises. Entregue a fundações de partidos políticos ao serviço das suas clientelas, a mata nacional é envolvida numa espécie de concurso de beleza com que alguns sustentam a vida  que levam.

Mas apesar do reino ser pequeno e não ter muros, nem o rei de pé se consegue fazer ver além das velhas praças de Elvas ou Almeida, as nossas fronteiras também artificiais, e tudo isto me parece esforço inglório. Nem o Buçaco sai  dignificado nem a divulgação premiada, seja lá qual for o prémio atribuido. É pouco para o que está á vista!

Se falássemos da classificação do espaço  pela Unesco, isso  sim seria outro assunto , mas desta barrela para  consumo interno e dizer depois que  se fez grande coisa sem fazer coisa nenhuma , não. Quando alguém pegar como deve ser, deve pegar o animal  pelo sítio , não pelas bordas !

23
Fev10

CAPELA DAS ALMAS

Peter

 

Esta pequena capela construida fora dos muros da cerca  conventual foi

edificada por um devoto leigo de Santa Cristina-Mortágua e serviu de hospital

de sangue durante a Batalha do Bussaco.Faz hoje parte do complexo que

inclui o museu militar do Buçaco , uma estrutura militar que recolhe

o espólio da batalha e da guerra peninsular.

Saber mais sobre a capela em Buçaco.blogs.pt no link ao lado.

22
Nov09

SONETOS DO BUÇACO

Peter

 

Do autor, segundo livro de poemas,

agora uma colectânea de cento e vinte

sonetos clássicos  na sua maior parte

sobre o Buçaco onde, na sua totalidade,

foram escritos.

 

   Uma pequena fonte e um quadrado

    com musgo e folhas num Outono lento,

    o banco tosco, aquele onde me sento

    contornos do meu ser silenciado.

 

    ouve-se àgua a cair e jorra pouca,

    comparo-a comigo,mais experiente,

    conhece o sentimento e muita gente

    se debruça e lhe dá beijos na boca.

 

    acoitam-se na sombra da folhagem

    os últimos calores do mês de Outubro,

    artérias dum colchão laranja rubro

 

    revestindo o perfil, buscando imagem,

    tal como eu, escondido, me descubro

    procurando cerzir-me na engrenagem.  

15
Nov09

BUÇACO, UMA GESTÃO AMADORA

Peter

                              Fonte Fria desnatada

 

Ora bem, o Governo Socialista meteu a presidir á Fundação Buçaco um engenheiro civil.

Um militante, claro . Os socialistas atingiram a perfeição a gerir clientelas. Por isso um engenheiro civil a tratar de árvores é o culminar dum processo amadoristico e irresponsavel no sentido de preencher lugares pelos tentáculos do partido e não pelo interesse dos organismos e dos respectivos bens.

Há cem anos atrás, entendia perfeitamente um engenheiro civil  á frente da floresta. Um professor, um  médico, um advogado, até um homem bom !  Hoje , com tantos especialistas na matéria, isso é incompreensivel, apenas revela a incapacidade do Estado socialista  em governar o país e a sua preferência por embalar o partido para a criação de redes próprias  que podem ser amanhã o corpo dum estado politico e não dum estado de direito. As metastases passam pelas autarquias.

Claro que de qualquer maneira não vão fazer  nada no Buçaco, mas que as fundações, como as empresas públicas, sirvam para perpetuar o poder e as benesses,é o melhor caminho para o partido socialista  se autodestruir e  cair na desconfiança  e no descrédito que grassa neste país.

Julgarão que possuem o exclusivo da democracia????

Mais sobre mim

foto do autor

VISITAS

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D