Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BUSSACO

PROPRIA DOMUS OMNIUM OPTIMA

BUSSACO

PROPRIA DOMUS OMNIUM OPTIMA

28
Mar13

BUÇACO,SEMANA SANTA

Peter

"Graças á  Semana Santa do Buçaco não há quartos

vagos nas termas do Luso.Uma onda de turistas

eclodiu não se sabe de onde  e  em pouco tempo

o parque hoteleiro esgotou por completo.

Também  há dificuldades  ao nivel da alimentação

dos forasteiros!

 Isto seria sem dúvida o que todos gostariam de ler

na sequência das grandes manifestações religiosas

que a fundação do Buçaco leva a efeito (?). Mas não

é assim, bem pelo contrário o que acontece é que as

manifestações são duma dimensão tão ingenua e

paroquial que chegam a ser deprimentes  e

prejudiciais para a actividade. Um engodo.

Afundação só veio destruir  o que estava feito com

seriedade em décadas de trabalho e o seu objectivo é

apenas cobrar umas entradas na Mata,na  capela

do Convento,numas reuniões com meia dúzia de gatos

pingados ,numa visita á cova da raposa para ver morcegos,

uma palestra sobre sapos , uma pescaria na ribeira

de Vale dos Fetos, cada coisa a dois ou três euros cada,

e nada mais. Deprimente !

Se eventualmente surge algum turista, vem ao engano,

e se aparecer, é para nunca mais voltar ao Buçaco,

depois do logro em que caiu. Turista enganado,

não volta mais!

Para o próximo ano não se sabe se a dita fundação

cobrará entrada  na igreja paroquial da freguesia para

se assitir á missa ou sair na procissão, mas a adivinhar

pelo fumo preto tudo indica que ,tudo pode acontecer. 

Classificar isto em termos de TURISMO, só se for numa

modalidade , a de TURISMO DEPRIMENTE.

Com coisas sérias não se deve brincar !!

03
Fev11

BUÇACO A SAQUE ?

Peter

 

Um testemunho  independente,

 sobre o abate de àrvores

 

A revista Visão , no seu nº 933 de  20/2/1/2011 dedica

uma página aos abates de árvores no Bussaco e diz ,

 pela voz autorizada de quem sabe , e cito :

 

...É o chamado abate destrutivo.As marcas de rodas

gigantes comprovam a entrada de maquinaria pesada

...ante a grande clareira aberta ao lado da

Porta do Serpa.O trabalho não poderia ser entregue

a um madeireiro, isto é uma mata não é um pinhal

....em vez de desmontadas,as àrvores, algumas de

grande porte,foram cortadas pela raiz ,destruindo ,

na queda ,outras cujo corte não estava previsto.

Vê-se um cedro do Bussaco totalmente mutilado,

cedros do Atlas estropiados,azevinhos cortados pela

raiz e ramos soltos espalhados entre a vegetação

 cortada...etc,etc ,etc

 

 

29
Dez10

NATAL NA MATA

Peter

       O BUÇACO EM COMENTÁRIOS

 

    Três comentários á notícia do Diário de Coimbra 

 no site do mesmo jornal em 29/12/2010 sobre o Natal na Mata 

1O Coral Vox et cCmmunium teve muita desilusão não estava ninguem a assistir ao concerto a não ser os pais das crianças que tiveram de os transportar e inclusivamente pagar bilhete para assistir caso contrario e em contrario aquilo que nos foi dito não podiamos entrar, Eu só gostaria de perguntar ao senhor presidente e auxiliares onde estavam as pessoas para assistir ao concerto? I  DC

 

2--Atrair visitantes?!... Então as portagens não têm a finalidade de os afastar para preservar a Mata das agressões ambientais? Ou apenas se trata de sacar mais uns euros na política do "Fartar Vilanagem" quando os nossos impostos deveriam servir para garantir a preservação da Mata? Aliás, se se pretende restringir o acesso à Mata, o que parece não ser o caso, não se deveria pura e simplesmente proibir o acesso? Ah, mas e os euros da portagem? Pobre país que tais governantes tens.    CN      DC

 

3--A Mata acaba a partir da cortada para o cerquedo, porque para ir até a cruz alta só mesmo de tractor  V   DC

 

 

        Dois comentários á notícia do Diário AS   BEIRAS 

 no site do mesmo jornal em 29/12/2010 sobre o Natal na Mata

- Fui dia 26 de janeiro com a minha filha e com o coral  e no inicio deixaram entrar os pais dos coralistas como viram que eram muitos pais não nos deixaram entrar na capela pois só pagando 2 euros, coisa que é indemissivel pois não estava ninguem para assistir ao concerto se não fossem os pais das crianças não tinham ninguem, a isso chamasse promover a Mata? Eu penso que eles quizeram fazer dinheiro à custa dos pais pois o coro não tem transporte e os pais têm que se deslocar com os seus filhos, já tivemos que gastar gasolina e depois esta exploração. Na minha opinião e para Futuro o Sr. Presidente pense melhor naquilo que faz não nos faça passar por palhaços. I DB

 2-Fui ao Buçaco com a família ver o tal presépio ao vivo. À entrada da Mata cobraram-me 5 euros para começar a percorrer uma estrada cheia de lama e de árvores cortadas. Depois cheguei ao Palacio, estacionei o carro e 30 minutos depois já estava de arrancada porque sinceramente, foi uma desilusão. Muito arcaico, sem brio ou interesse, e ainda me queriam cobrar mais 2 euros por cabeça (somos 5 pessoas) para visitar o Convento. Nem uma casa de de banho digna desse nome para apoio.
Metemo-nos no carro e regressámos a Coimbra com a sensação de que fomos enganados. P   DB
 
 
  A titulo de  informação, deve sublinhar-se que a gerência da Mata Nacional
                                 é feita pela socrática Fundação Buçaco.
14
Nov10

CRISE CRÓNICA

Peter

Estatua de Guerra Junqueiro-PORTO (net)

Não sendo um amigo extraordinário do Bussaco,

Guerra Junqueiro também por aqui andou ,

e numa Romaria da Ascenção até se encontrou

com Tomas da Fonseca , escritor de Laceiras, Mortágua

e  apresentou-lhe o nosso  Poeta Cavador Manuel Alves,

 natural da  Moita, Anadia.

Mais ou menos por esse tempo escreveu a prosa que se

segue a propósito da Pátria e sua governação que,

face á crise dos nossos dias parece manter-se actual .

Vale a pena ler:

 

 

"Um povo imbecilizado e resignado, humilde e macambúzio,
 fatalista e sonâmbulo, burro de carga, besta de nora,
 aguentando pauladas, sacos de vergonhas, feixes de misérias,
 sem uma rebelião, um mostrar de dentes, a energia dum coice,
 pois que nem já com as orelhas é capaz de sacudir as moscas;
 um povo em catalepsia ambulante, não se lembrando nem

 donde vem, nem onde está, nem para onde vai;
 um povo, enfim, que eu adoro, porque sofre e é bom,
 e guarda ainda na noite da sua inconsciência como que
 um lampejo misterioso da alma nacional,
 reflexo de astro em silêncio escuro de lagoa morta. 

 Uma burguesia, cívica e politicamente corrupta até à medula, 
 não descriminando já o bem do mal, sem palavras, sem vergonha,
sem carácter, havendo homens que, honrados na vida íntima,
descambam na vida pública em pantomineiros e sevandijas,
capazes de toda a veniaga e toda a infâmia, da mentira à falsificação,
da violência ao roubo, donde provém que na política portuguesa

sucedam, entre a indiferença geral,escândalos monstruosos,

 

Um poder legislativo, esfregão de cozinha do executivo;
este criado de quarto do moderador; e este, finalmente,
tornado absoluto pela abdicação unânime do País.
A justiça ao arbítrio da Política, torcendo-lhe a vara

ao ponto de fazer dela saca-rolhas.
Dois partidos sem ideias, sem planos, sem convicções,
incapazes, vivendo ambos do mesmo utilitarismo céptico

e pervertido, análogos nas palavras, idênticos nos actos,
iguais um ao outro como duas metades do mesmo zero,
e não se malgando e fundindo, apesar disso,
pela razão que alguém deu no parlamento,
de não caberem todos duma vez na mesma sala de jantar." 
Guerra Junqueiro, 1896.

 

09
Out10

DESLEIXO E ABANDONO

Peter

 

                                                                                                             

O Bloco de Esquerda visitou a MATA NACIONAL

DO BUÇACO. Não  gostou. Fala em desleixo,

abandono, falta de cuidado!

Fala em plano de intervenção e reparação  do património.

Vai para a Assembleia da Republica com a proposta.

Os funcionários reduzem-se a CINCO RECLUSOS

da prisão de Coimbra, diz.                                                              

Será o resultado do sapateiro a tocar viola????

Já temos denunciado a situação , a MATA NACIONAL

do Buçaco precisa duma intervençao a sério ,

por quem saiba do ofício, não por curiosos amadores.

As  fundações socráticas não possuem esses predicados !!!

Os municípios também não.

SALVAR A MATA , só com profissionais competentes.

                                                                                                                                           

 

12
Set10

NO PAÍS DAS MARAVILHAS-2

Peter

 

 

PARA BEM DO PRÓPRIO BUÇACO,

....ainda bem que o Buçaco saiu imune á pateguice

 em que alguns incautos o meteram!

...porque  a realidade é que estes prémios

de tipo revistas cor de rosa  de qualidade nula,

 só  trazem despretígio a quem participa e

verdadeiramente não atestam nada nem têm

 garantias de ninguém.

São o espelho do estado deprimente em que se

 vive neste país milagreiro e nada mais.

O Buçaco ou Sintra, ou a Floresta de Laurissilva,

 não fazem parte desta feira de vaidades

 onde tudo é vazio e ôco. São realidades sérias

demais para negócios de circunstância e de conjuntura.

Este não é o caminho certo para colocar o Buçaco

no lugar certo, donde aliás já esteve muito mais perto

do que está hoje.

08
Ago10

FUNDAÇÃO SOCRÁTICA

Peter

 

Queixam-se os autarcas que a Fundação não tem dinheiro.

Ora  tratando-se a Mata do Buçaco dum património nacional

não faz sentido ser  mais ou menos municipalizada.

Nunca se espere dum municipio que gere espaços  paroquiais,

neste caso o da Mealhada , a conservação correcta dum

património nacional.

Se é nacional, é à nação que compete gerir.

O que fez a nação socrática ?? Criou mais uma Fundação.

Já são tantas, mais uma menos uma não significa nada.

Veio a talho de foice, mais uma administração para a clientela

partidária e umas prateleiras douradas para os profissionais

que no Ministério respectivo deviam gerir o Buçaco .

Passou-se portanto a dobrar nos salários.

Uns para nada fazerem, outros para pedir dinheiro para fazer.

Onde não há, como se  sabe, para o que é preciso.

E como o governo parece não dar, até as eleições partidárias

servem para o reeinvindicar, como se o governo fosse

o próprio partido.

Enfim, umas confusões dos diabos em tempos  ditos democráticos!

Assim nascem as afundações deste país.

Tudo se mantém na mesma quietude, na mesma paz podre

e pobre da velha nação dportuguesa. 

 

10
Jul10

A MESA DOS 100 ANOS

Peter

(foto iIlustração Portuguesa) 

BATALHA DO BUÇACO, 100 ANOS DEPOIS...

 

... como uma  comemoração não se faz a sêco,

eis a mesa de oficiais no almoço ao ar livre

no terreiro do Obelisco em 27 de Setembro de 1910.

Vão cem anos. Sete dias depois  ocorreu a implantação

da República.

Sem outros comentários, cada português

entenda como quizer....mas mais cem anos em cima

e a mesa continua posta .Os régulos , são os mesmos,

melhor, continuam !!!! Tal como as instituições ,

200 anos após.

 

Mais sobre mim

foto do autor

VISITAS

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D