Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BUSSACO

PROPRIA DOMUS OMNIUM OPTIMA

BUSSACO

PROPRIA DOMUS OMNIUM OPTIMA

08
Set14

CAMINHADA

Peter

 

Para caminhar , numa noite de breu, se o tempo

ajudar...desde Stº António do Cântaro.

Para quem não sabe...do Cântaro ,porque ali havia

sempre um cântaro de àgua para matar a sede 

aos caminheiros na antiga estrada real 

Coimbra Viseu.

 

A Night Walk

204 Years of Bussaco  battle between the 

anglo-portuguese army and Massena,

Napoleon's  marshal

 

 

 

 

29
Dez10

NATAL NA MATA

Peter

       O BUÇACO EM COMENTÁRIOS

 

    Três comentários á notícia do Diário de Coimbra 

 no site do mesmo jornal em 29/12/2010 sobre o Natal na Mata 

1O Coral Vox et cCmmunium teve muita desilusão não estava ninguem a assistir ao concerto a não ser os pais das crianças que tiveram de os transportar e inclusivamente pagar bilhete para assistir caso contrario e em contrario aquilo que nos foi dito não podiamos entrar, Eu só gostaria de perguntar ao senhor presidente e auxiliares onde estavam as pessoas para assistir ao concerto? I  DC

 

2--Atrair visitantes?!... Então as portagens não têm a finalidade de os afastar para preservar a Mata das agressões ambientais? Ou apenas se trata de sacar mais uns euros na política do "Fartar Vilanagem" quando os nossos impostos deveriam servir para garantir a preservação da Mata? Aliás, se se pretende restringir o acesso à Mata, o que parece não ser o caso, não se deveria pura e simplesmente proibir o acesso? Ah, mas e os euros da portagem? Pobre país que tais governantes tens.    CN      DC

 

3--A Mata acaba a partir da cortada para o cerquedo, porque para ir até a cruz alta só mesmo de tractor  V   DC

 

 

        Dois comentários á notícia do Diário AS   BEIRAS 

 no site do mesmo jornal em 29/12/2010 sobre o Natal na Mata

- Fui dia 26 de janeiro com a minha filha e com o coral  e no inicio deixaram entrar os pais dos coralistas como viram que eram muitos pais não nos deixaram entrar na capela pois só pagando 2 euros, coisa que é indemissivel pois não estava ninguem para assistir ao concerto se não fossem os pais das crianças não tinham ninguem, a isso chamasse promover a Mata? Eu penso que eles quizeram fazer dinheiro à custa dos pais pois o coro não tem transporte e os pais têm que se deslocar com os seus filhos, já tivemos que gastar gasolina e depois esta exploração. Na minha opinião e para Futuro o Sr. Presidente pense melhor naquilo que faz não nos faça passar por palhaços. I DB

 2-Fui ao Buçaco com a família ver o tal presépio ao vivo. À entrada da Mata cobraram-me 5 euros para começar a percorrer uma estrada cheia de lama e de árvores cortadas. Depois cheguei ao Palacio, estacionei o carro e 30 minutos depois já estava de arrancada porque sinceramente, foi uma desilusão. Muito arcaico, sem brio ou interesse, e ainda me queriam cobrar mais 2 euros por cabeça (somos 5 pessoas) para visitar o Convento. Nem uma casa de de banho digna desse nome para apoio.
Metemo-nos no carro e regressámos a Coimbra com a sensação de que fomos enganados. P   DB
 
 
  A titulo de  informação, deve sublinhar-se que a gerência da Mata Nacional
                                 é feita pela socrática Fundação Buçaco.
07
Out10

27 de SETEMBRO

Peter

 Bateria de artilharia ( foto gentilmente cedida por Carlos Ferraz)

 

Com a presença do Presidente da Republica comemorou-se

no dia 27 de Setembro o segundo Centenário da Batalha do Buçaco.

Das recriações  levadas a efeito, um testemunho.

 

 

  Disparar  ( foto cedida gentilmente por Carlos ferraz)

Outro aspecto da reconstitução levada a efeito

 no local da batalha.

 

O melhor documentário , (de frente e de tráz)

com uma vénia á Escola Secundária da Mealhada .

VER : 

 

23
Set10

SEGUNDO CENTENÁRIO

Peter

 

            

            200 ANOS DEPOIS

 

Passam no dia 27 de Setembro

200 sobre a Batalha do Bussaco,

uma fase importante da Guerra Peninsular.

Embora  esta batalha só tenha sido validada

após a vitória definitiva de Waterloo e durante

a construção do mito de Wellington, 

que a regista no seu túmulo na Catedral

de S. Paulo, em Londres.

Seja considerada batalha ou escaramuça,

veio a  ser uma referência importante no

contexto das invasões e foi sem dúvida

um momento dificil da história pátria

e das populações que a sofreram.

A lembrança dos acontecimentos duzentos

anos após ,ainda que  limitados a um episódio 

da europa actual deveriam ser pois

um momento de reflexão

sobre o todo que somos e menos manisfestação

de exaltações exacerbadas ou de  patriotismo

serôdio que faze parte da prateleira da história.

 

(ver ,onde foi a batalha  em  http://bucaco.blogs.sapo.pt/

             http://bucaco.blogs.sapo.pt/ )

  

12
Set10

NO PAÍS DAS MARAVILHAS-2

Peter

 

 

PARA BEM DO PRÓPRIO BUÇACO,

....ainda bem que o Buçaco saiu imune á pateguice

 em que alguns incautos o meteram!

...porque  a realidade é que estes prémios

de tipo revistas cor de rosa  de qualidade nula,

 só  trazem despretígio a quem participa e

verdadeiramente não atestam nada nem têm

 garantias de ninguém.

São o espelho do estado deprimente em que se

 vive neste país milagreiro e nada mais.

O Buçaco ou Sintra, ou a Floresta de Laurissilva,

 não fazem parte desta feira de vaidades

 onde tudo é vazio e ôco. São realidades sérias

demais para negócios de circunstância e de conjuntura.

Este não é o caminho certo para colocar o Buçaco

no lugar certo, donde aliás já esteve muito mais perto

do que está hoje.

24
Ago10

NO PAÍS DAS MARAVILHAS

Peter

 

 

Querem por aí que a Mata Nacional do Buçaco seja uma maravilha de Portugal. Coisa mais absurda não há. Há dois séculos pelos menos a Mata Nacional é uma maravilha deste país. Mas nem sequer a palavra maravilha me parece a mais adequada para designar o espaço. Lembra-me logo o Circo Maravilhas do Manuel Guimarães, a fita Saltimbancos e as intrincadas desgraças que fazem letra no fado e lágrimas na choradeira colectiva, que são os oitocentos séculos de história que nos pertencem!

Mas traz-me por outro lado á ideia a figura encantada de Alice no país das maravilhas correndo atrás do coelho e do relógio até acordar do sono.

O senso da mentira bem contada. O sonho . Diríamos hoje, o markting perfeito se não tivéssemos respeito pela sageza e pela imaginação do escritor.

Nada disto é a Mata do Buçaco. Em primeiro lugar, não é maravilha natural. Nada tem a ver com o Parque  da Serra do Gerês, com o vale glaciário da Serra da Estrela, com o Sapal de Castro Marim ou com a Costa Vicentina.

Ao contrário destes espaços ambientais produtos da natureza, o Buçaco é um jardim botânico construído pelo homem.  Um belissimo jardim botânico, depositário de variadas espécies, sem dúvida, mas não deixa de ser um espaço burguês iniciado por frades e continuado por inquisidores e pertença do Estado desde 1834 ano em que acabaram as ordens religiosas. E o Estado, roubada a Mata á exploração dos monges que a plantaram, raras vezes soube tratar dela com decoro e dignidade.

Hoje acontece o mesmo que n'outras crises. Entregue a fundações de partidos políticos ao serviço das suas clientelas, a mata nacional é envolvida numa espécie de concurso de beleza com que alguns sustentam a vida  que levam.

Mas apesar do reino ser pequeno e não ter muros, nem o rei de pé se consegue fazer ver além das velhas praças de Elvas ou Almeida, as nossas fronteiras também artificiais, e tudo isto me parece esforço inglório. Nem o Buçaco sai  dignificado nem a divulgação premiada, seja lá qual for o prémio atribuido. É pouco para o que está á vista!

Se falássemos da classificação do espaço  pela Unesco, isso  sim seria outro assunto , mas desta barrela para  consumo interno e dizer depois que  se fez grande coisa sem fazer coisa nenhuma , não. Quando alguém pegar como deve ser, deve pegar o animal  pelo sítio , não pelas bordas !

Mais sobre mim

foto do autor

VISITAS

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D