Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BUSSACO

PROPRIA DOMUS OMNIUM OPTIMA

BUSSACO

PROPRIA DOMUS OMNIUM OPTIMA

02
Dez12

MECOS AMBIENTAIS

Peter

 Mecos tradicionais sobre regatos do piso


Mecos na Fonte Fria,uma eventual noticia de jornal

 

Uma das primeiras grandes obras, senão mesmo a primeira, da

fundação buçaquina foi a colocação destes elegantes mecos na Fonte

Fria impedindo  a paragem e estacionamento de viaturas ligeiras.

Deve registar-se que desde o tempo das invasões francesas 

tal proibição não acontecia . Carroças e burriqueiros sempre

estacionaram á vontade para dar descanso aos burros.

Parece que a protecção da fauna hoje o exige tal como a defesa

da floresta reliquia, os pilriteiros da Cruz Alta, um habitat natural,

que constitue uma verdadeira descoberta de polvora seca feita pela

diligente fundação. E está por descobrir ainda a gilbardeira!

O único problema é chegar àquele lugar  para visitar a especie rara , 

porque a estrada que  leva ao cume da serra está praticamente

impraticavel com a renda de bilros lavrada nos restos do alcatrão.

Apurou-se ainda que a  mesma estrada foi devidamente pavimentada

até á Porta de Sula aquando da visita relâmpago de Sua Exª o Presidente

da Republica, ao Obelisco evocativo da Batalha nos seus 200 anos

de idade. Como para cima Sua Excelência não seguiu , o alcatrão também

não. Ficou por ali, para o Zé, mesmo turista, qualquer alpercata serve.

Entretanto os lugares de estacionamento desocupados na Fonte Fria

pelos elegantes mecos servem agora para protecção do ambiente

acumulando lamas, lixo e regos de água da chuva que lhe vão

desventrando o miolo do solo.


Enternecedora bordadura de vereda ambiental


Porém miolo é o que em mais abundância existe no Buçaco,

de modo que enquadrando a medida do parqueamento na da limpeza,

verifica-se que o lugar foi nesta matéria abandonado , tanto quanto

pudemos verificar desde o lago de vale dos Fetos à Curva da

Ribeira.

Junta-se á primeira foto dos elegantes mecos, a da esmerada

limpeza biológica de toda a zona. Quem duvidar, pode usar as pernas

e ir ver! Por mim, já lhe usei !!!

 


Um banco tradicional de origem carmelita faz parte integrante do

excelente mobiliário da zona , onde se pode ainda destacar

exemplar WC de último modelo.

Quem tem a ousadia de dizer  mal da excelência????

12
Nov12

PORQUE SECA Stº ELIAS ?

Peter

 

Esta foto é da Fonte de Stº Elias, no Buçaco.

Sêca , numa serra de tanta água !

- Porque secas Stº Elias ?? É a pergunta que se põe.

-Porque não limpam a mina. A resposta que se impoe.

-Sabem onde é?

-Talvez não, as afundações só sabem sacar  e estragar.

-Há quem saiba ????

-Hà!

-Porque não a limpam então?

-Porque são burros e não perguntam a quem sabe!

-E ganham para isso?

-E não é pouco...

-Quem paga?

-Nós todos.

E os burros são eles ou nós?

...   ...   ...   ...


08
Nov12

CEDRO de 1644 EM PERIGO

Peter

 

Perante a incuria da Afundação  o  primeiro cedro do

Buçaco, plantado em 1644 encontra-se em perigo de

ruir sobre a proteção que o mantém de pé.

O cabo de aço que sustenta há anos esta rara espécie

do património buçaquino, foi cortado junto ao cepo

de cimento onde estava seguro  e  a Afundação

socrático-socialista nada faz para o salvar ,pois

encontra-se neste estado há bastante tempo.

Pela fotografia pode ver-se o cabo solto pendurado

e fora de serviço.

Viveremos no caos  total e sem Ministério tutelar e

responsavel?

Para lá do show off propagandistico, a Fundação

nada faz, só arruina o Parque Nacional. 


Mata Nacional, abrir:

http://www.drapc.min-agricultura.pt/base/documentos/bussaco_circuitos_

pedestres.htm


18
Out12

AFUNDAÇÃO BUÇACO A 44%

Peter


Porta das Lapas, casa ( para alugar?)

No relatório da avaliação feita pelo Estado ás

Fundações a Afundação familiar-socrática Mata

do Buçaco ficou-se por uns vergonhosos 44%.

Um chumbo claro, que atesta que aquilo que

se vem aqui denunciando tem razão de ser.

Apesar de toda a demagógica propaganda dos

pseudo administradores da coisa publica ,

mais alguns a contribuir  sem vergonha para

o estado a que o país chegou e os portugueses

sofrem ( lembremos que auferem milhares dos

nossos impostos para destruir a Mata Nacional

e veja-se a estrada da Cruz Alta a exemplo) a

Mata está bem pior do que quando estava nas

mãos do Ministério da Agricultura e os

visitantes são muito menos do que os que

anteriormente nos visitavam.

Contabilizado em termos de receitas turisticas

uma catastrofe.É evidente que desmandos

destes , cedo ou tarde, terão que acabar.

19
Nov11

TAXÓNIO,HABEAS CORPUS

Peter

  

 

        TÁXODIO

( tadoxium districhum)


Àrvore da família das taxodiáceas conhecida

também porCipreste Calvo,Cipreste dos Pântanos,

Cipreste de Folha Caduca ou Cipreste de Montezuma.

É uma espécie oiginária dos Estados Unidos , dos  

Everglades da Florida e outras zonas húmidas.

Conifera alta, pode atingir 50 metros de altura

e  4 metros de diâmetro.

Em Portugal é uma espécie rara. Há uma na serra

de Sintra,outra no Pinhal de Leiria,outra no

Vale dos Fetos, no Buçaco*.Esta do Buçaco,

representada na fotografia já esteve condenada

à morte , três vezes inscrita no cadafalso da

Afundação Buçaco.

Salvou-se entretanto pela intervenção

casual duma biologa da Universidade de Aveiro.

Depois dos azevinhos, dos fetos arbóreos,

irá agora um valioso taxónio ?

Quantas outras espécies já terão ido abaixo?

Não há ninguém neste país que ponha mão nisto?

* Entre o Lago de Vale dos Fetos e a Porta das Lapas.

07
Nov11

O FIM DO VALE DOS FETOS

Peter

 

Três Fetos Arbórios secos e completamente mortos

em Vale dos Fetos, uma jóia do Buçaco.

No local, contamos dezoito nestas condições

e mais alguns a caminho dum fim rápido.

De resto, o conjunto está  num abandono total.

Depois dos azevinhos, os fetos !!!!

Tanta irresponsabilidade é demais !!!!!

 

No Pinhal do Marquês cortaram as àrvores seculares

para venda de lenha e deram lugar á infestação de

acácias que se vê na imagem. Por toda esta encosta da

Mata a acácia reina impunemente!!!!

È mais um infestante na Mata!!!!

Na Fonte Fria, um novo modelo de banco de tampo

invisivel, banco tipo Afundação, enquanto do outro

lado  mais um Feto arbório caminha para a morte.

O cisne, curioso, espreita o banco vazio.

                                                                                         

Enquanto isto  e outras barbaridades se

constatam, de forma mais subtil a Câmara da

 Mealhada tem abertos quatro concursos para

técnicos superioresde Engenharia Florestal,

Engenharia civil,Arquitetura e Comunicação Social ,

acautelando  desta forma a hipotese de

encerramento da Fundação com a colocação

da família politica nos quadrosda Câmara.

 

03
Fev11

BUÇACO A SAQUE ?

Peter

 

Um testemunho  independente,

 sobre o abate de àrvores

 

A revista Visão , no seu nº 933 de  20/2/1/2011 dedica

uma página aos abates de árvores no Bussaco e diz ,

 pela voz autorizada de quem sabe , e cito :

 

...É o chamado abate destrutivo.As marcas de rodas

gigantes comprovam a entrada de maquinaria pesada

...ante a grande clareira aberta ao lado da

Porta do Serpa.O trabalho não poderia ser entregue

a um madeireiro, isto é uma mata não é um pinhal

....em vez de desmontadas,as àrvores, algumas de

grande porte,foram cortadas pela raiz ,destruindo ,

na queda ,outras cujo corte não estava previsto.

Vê-se um cedro do Bussaco totalmente mutilado,

cedros do Atlas estropiados,azevinhos cortados pela

raiz e ramos soltos espalhados entre a vegetação

 cortada...etc,etc ,etc

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

VISITAS

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D