Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BUSSACO

PROPRIA DOMUS OMNIUM OPTIMA

BUSSACO

PROPRIA DOMUS OMNIUM OPTIMA

19
Nov11

TAXÓNIO,HABEAS CORPUS

Peter

  

 

        TÁXODIO

( tadoxium districhum)


Àrvore da família das taxodiáceas conhecida

também porCipreste Calvo,Cipreste dos Pântanos,

Cipreste de Folha Caduca ou Cipreste de Montezuma.

É uma espécie oiginária dos Estados Unidos , dos  

Everglades da Florida e outras zonas húmidas.

Conifera alta, pode atingir 50 metros de altura

e  4 metros de diâmetro.

Em Portugal é uma espécie rara. Há uma na serra

de Sintra,outra no Pinhal de Leiria,outra no

Vale dos Fetos, no Buçaco*.Esta do Buçaco,

representada na fotografia já esteve condenada

à morte , três vezes inscrita no cadafalso da

Afundação Buçaco.

Salvou-se entretanto pela intervenção

casual duma biologa da Universidade de Aveiro.

Depois dos azevinhos, dos fetos arbóreos,

irá agora um valioso taxónio ?

Quantas outras espécies já terão ido abaixo?

Não há ninguém neste país que ponha mão nisto?

* Entre o Lago de Vale dos Fetos e a Porta das Lapas.

07
Nov11

O FIM DO VALE DOS FETOS

Peter

 

Três Fetos Arbórios secos e completamente mortos

em Vale dos Fetos, uma jóia do Buçaco.

No local, contamos dezoito nestas condições

e mais alguns a caminho dum fim rápido.

De resto, o conjunto está  num abandono total.

Depois dos azevinhos, os fetos !!!!

Tanta irresponsabilidade é demais !!!!!

 

No Pinhal do Marquês cortaram as àrvores seculares

para venda de lenha e deram lugar á infestação de

acácias que se vê na imagem. Por toda esta encosta da

Mata a acácia reina impunemente!!!!

È mais um infestante na Mata!!!!

Na Fonte Fria, um novo modelo de banco de tampo

invisivel, banco tipo Afundação, enquanto do outro

lado  mais um Feto arbório caminha para a morte.

O cisne, curioso, espreita o banco vazio.

                                                                                         

Enquanto isto  e outras barbaridades se

constatam, de forma mais subtil a Câmara da

 Mealhada tem abertos quatro concursos para

técnicos superioresde Engenharia Florestal,

Engenharia civil,Arquitetura e Comunicação Social ,

acautelando  desta forma a hipotese de

encerramento da Fundação com a colocação

da família politica nos quadrosda Câmara.

 

03
Fev11

BUÇACO A SAQUE ?

Peter

 

Um testemunho  independente,

 sobre o abate de àrvores

 

A revista Visão , no seu nº 933 de  20/2/1/2011 dedica

uma página aos abates de árvores no Bussaco e diz ,

 pela voz autorizada de quem sabe , e cito :

 

...É o chamado abate destrutivo.As marcas de rodas

gigantes comprovam a entrada de maquinaria pesada

...ante a grande clareira aberta ao lado da

Porta do Serpa.O trabalho não poderia ser entregue

a um madeireiro, isto é uma mata não é um pinhal

....em vez de desmontadas,as àrvores, algumas de

grande porte,foram cortadas pela raiz ,destruindo ,

na queda ,outras cujo corte não estava previsto.

Vê-se um cedro do Bussaco totalmente mutilado,

cedros do Atlas estropiados,azevinhos cortados pela

raiz e ramos soltos espalhados entre a vegetação

 cortada...etc,etc ,etc

 

 

21
Jan11

BUÇACO-AZEVINHOS

Peter

                                                                                                       

Como se pode ver nesta fotografia, a limpeza

que se está a fazer numa zona de  azevinhos

é  suja e descuidada.

21
Nov10

CRISTO DO BUÇACO

Peter

                                                                                                                            

Este postal com mais de  meio século representa o passo

das filhas de Jerusalém na Via Sacra do Buçaco.

Tal como os portugueses  de hoje, Cristo, sedento,

carrega a sua pesada cruz.

Escultura em terracota de Costa Mota, Sobrinho, 1938.

 

(saber mais ver :        

  http://bucaco.blogs.sapo.pt/3158.html   )

14
Nov10

CRISE CRÓNICA

Peter

Estatua de Guerra Junqueiro-PORTO (net)

Não sendo um amigo extraordinário do Bussaco,

Guerra Junqueiro também por aqui andou ,

e numa Romaria da Ascenção até se encontrou

com Tomas da Fonseca , escritor de Laceiras, Mortágua

e  apresentou-lhe o nosso  Poeta Cavador Manuel Alves,

 natural da  Moita, Anadia.

Mais ou menos por esse tempo escreveu a prosa que se

segue a propósito da Pátria e sua governação que,

face á crise dos nossos dias parece manter-se actual .

Vale a pena ler:

 

 

"Um povo imbecilizado e resignado, humilde e macambúzio,
 fatalista e sonâmbulo, burro de carga, besta de nora,
 aguentando pauladas, sacos de vergonhas, feixes de misérias,
 sem uma rebelião, um mostrar de dentes, a energia dum coice,
 pois que nem já com as orelhas é capaz de sacudir as moscas;
 um povo em catalepsia ambulante, não se lembrando nem

 donde vem, nem onde está, nem para onde vai;
 um povo, enfim, que eu adoro, porque sofre e é bom,
 e guarda ainda na noite da sua inconsciência como que
 um lampejo misterioso da alma nacional,
 reflexo de astro em silêncio escuro de lagoa morta. 

 Uma burguesia, cívica e politicamente corrupta até à medula, 
 não descriminando já o bem do mal, sem palavras, sem vergonha,
sem carácter, havendo homens que, honrados na vida íntima,
descambam na vida pública em pantomineiros e sevandijas,
capazes de toda a veniaga e toda a infâmia, da mentira à falsificação,
da violência ao roubo, donde provém que na política portuguesa

sucedam, entre a indiferença geral,escândalos monstruosos,

 

Um poder legislativo, esfregão de cozinha do executivo;
este criado de quarto do moderador; e este, finalmente,
tornado absoluto pela abdicação unânime do País.
A justiça ao arbítrio da Política, torcendo-lhe a vara

ao ponto de fazer dela saca-rolhas.
Dois partidos sem ideias, sem planos, sem convicções,
incapazes, vivendo ambos do mesmo utilitarismo céptico

e pervertido, análogos nas palavras, idênticos nos actos,
iguais um ao outro como duas metades do mesmo zero,
e não se malgando e fundindo, apesar disso,
pela razão que alguém deu no parlamento,
de não caberem todos duma vez na mesma sala de jantar." 
Guerra Junqueiro, 1896.

 

12
Nov10

BUÇACO , FONTE SÊCA

Peter

                    FONTE DE Stº ELIAS SECOU   

                                                                                                           

  

                                                                                                           

 Foi mandada construir pelo bispo João de Melo  esta

 fonte de água ferrea num local um pouco acima

do actual e no século XIX  reconstruida um pouco

 mais abaixo na estrada da Porta da Rainha. Hoje é

 uma , entre outras,que está seca.

 Afundou-se ????

 Não.  Naturalmente porque ninguém trata da mina

 da nascente  que brota acima.

 

 

                                                                                                                                                                 

 Aqui está a bica  e o tanque para onde corria   no

 ano passado, a água que já não corre. Não se trata,

 como sugere o título,da Fonte de Stº Elias sêca,

 mas mais da falta de higiene e limpeza  em que  a

 devem querer manter.

 Nem  Elias, mesmo profeta, pode fazer nada por

 esta dádiva de Deus !

Mais sobre mim

foto do autor

VISITAS

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D