Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BUSSACO

PROPRIA DOMUS OMNIUM OPTIMA

BUSSACO

PROPRIA DOMUS OMNIUM OPTIMA

15
Mar15

ATRAÇÃO TURISTICA

Peter

028.JPG

Neste singular país  quando não se sabe criar mais nada

criam-se obstáculos  e agendam-se proibições com a

rapidez demoniaca da insensatez. Nesta fotografia da

Fonte Fria, está um exemplo perfeito , traduzido no

impedir a entrada no recinto que a seu tempo foi

rasgado para estacionar. Desde os burros do Barrigo!!!!!! 

Com a chegada da Afundação foi  subtraído a esta

paragem centenária o seu funcional destino. 

Uma obra impar do orgão  gestionário!!!!!????

Para mostrar trabalho?

Para mostrar criatividade? 

Por não haver mais nada que fazer ?

Para não limpar as lamas quando chove?

Para mostrar os galões e sabermos quem manda ali?

Bom, o espaço não serve para mais nada , a não ser

para criar uma zona de conflitos na estrada adjacente

onde passou a acontecer o estacionamento!!!

Isto tem que se lhe diga, talvez seja uma questão 

Kafkiana!!! Que bom era se o mesmo Kafka

fosse atracção de turistas!!!!

 

07
Mar15

LAGO INQUINADO ?

Peter

bussac (2).jpg

Este pequeno lago está reduzido a um charco.

Além da sujidade da água há detritos a boiar, matéria

inerte, peixes e sapos mortos em decomposição ,

tudo indicando que a água tem qualquer produto tóxico

que envenena a vida animal.

Depois de tanto cuidado com morcegos , lagartos

e outra fauna,  esta é uma situação deveras negativa que

em nada beneficia  a Mata. A mesma situação se pode

verificar no lago inferior do Vale dos Fetos. 

 

31
Jan15

LUIGI MANINI

Peter

regaleira1.JPG

( foto Fundação Quinta da Regaleira)

T raçado pelo cenografo italiano Luigi Manini, o mesmo

projectista do Buçaco, o Palácio da Regaleira na quinta

do mesmo nome , pertodo centro de Sintra, é património

classificado. São quatro hectares de lagos e jardins,

vegetação , grutas e construções diversas numa mistura de

estilos onde predomina e neo manuelino do Buçaco.

De resto no Palácio, encontra-se o romântico com o gótico

ou a renascença com o nosso manuelino, uma construção

onde está presente o Buçaco, ou vice versa, tantas são

as identificações visuais ,estéticas, culturais.

As duas obras foram executadas na mesma época, entre

o fim do sec.XIX e o principio do sec.XX. e  fácil é

suspeitar por alguns dos mesmos artistas, tantos são

os elementos comuns. No que pode dizer  respeito a um

cidadão do centro deste país ,as diferenças entre entre

aqueles quatro hectares da Regaleira e os 105 hectares

do Buçaco, para lá da dimensão das obras e dos autores,

mede-seessencialmente pela a situação  geográfica ,

mas muito mais entre a massa crítica duma região centro

distraída  para não dizer outra  coisa, e a massa critica

duma sociedade do municipio de Sintra mais consciente, 

activo e responsavel.

Enquanto ali as coisas andaram para classificação

real do património real, aqui não arrancaram da inércia

balofa das politiquices paroquiais, ninguém percebeu

por exemplo  no pobre municipio onde se encontra ,

que o Buçaco como património é o único valor digno de

registo e com potencialidades para ser visivel no

vasto mundo actual onde poderia  e deveria desenvolver

o seu papel económico .

A sua destruição persistente  tem sido o preferivel ,

contribuindo  mais para a pobreza da própria 

administração local, já de si pobre  de acervo e de ideias. 

Diz o ditado popular que os homens não se medem aos

palmos, é verdade que não, medem-se sim pela capacidade

de perceber o seu mundo e o seu tempo e de antecederem

os outros nas  estratégias necessárias.

Infelizmente milagres , não se podem exigir a ninguém  ,

sobretudonestes tempos conturbados!

22
Jan15

VERDES

Peter

verdes.jpg

Apesar de destruido e entregue a uma Fundação partirária

pelo proprietário Estado a Mata Nacional continua a ter

alguns recantos dignos de visita.Esta fotografia recente

espelha uma imagem que ainda pode ser apanhada

em 105 mmm  de destruição tapada pela pujança da

vegetação sobrevivente.

 

15
Jan15

GRADES

Peter

11.jpg

Se te cantar é como uma prisão

onde te vejo imerso em  abandono

incuria  e mais que isso podridão

do vento não, das garras do teu dono.

 

se te cantar com mágoa e com saudade

me encharco nas ranhuras dos teus veios

falta-te a luz a cor  a urbanidade

a tensão eriçada dos teus seios.

 

e das grades que tomas com brandura

estreitas verde painel dos teus segredos

talvez um dia nasça o sol, altura

 

de  te vestires e adornares os dedos

de endireitares os troncos e a postura

de natureza livre  em mil aedos.

 

06
Out14

NAPOLEÃO

Peter

Napoleão ,que nunca esteve no Bussaco e contou a batalha travada por Massena como escaramuça, está retratado neste óleo sobre tela da autoria de Joseph Beaume existente no Museu de Versailles, no momento em que o Imperador embarca para França,15 de Fevereiro de 1815, na cidade de Portoferraio,Ilha de Elba, onde estava exilado pela coligação das coroas europeias formada pela Russia,Inglaterra,Prussia,Austria,Portugal,Suécia e Sicilia.

08
Set14

CAMINHADA

Peter

 

Para caminhar , numa noite de breu, se o tempo

ajudar...desde Stº António do Cântaro.

Para quem não sabe...do Cântaro ,porque ali havia

sempre um cântaro de àgua para matar a sede 

aos caminheiros na antiga estrada real 

Coimbra Viseu.

 

A Night Walk

204 Years of Bussaco  battle between the 

anglo-portuguese army and Massena,

Napoleon's  marshal

 

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

VISITAS

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D