Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BUSSACO

PROPRIA DOMUS OMNIUM OPTIMA

BUSSACO

PROPRIA DOMUS OMNIUM OPTIMA

25
Out10

AMORES REAIS

Peter

       

 

Grande paixão do último rei de Portugal ,

Gaby Deslys teve com o monarca uma relação

que passou também pelo Buçaco, palco e cenário

de  subtis encontros amorosos dias antes da

Implantação da Republica.

Juntamente com as comemorações da Implantação

passaram também  100 anos sobre o acontecimento

 sobre o qual a rainha D. Amélia teceu o seguinte comentário:

 

“Vim a saber pelas más-línguas que Manuel ainda

 tem uma paixoneta por essa divazinha do music-hall parisiense,

Gaby Deslys, de origem marselhesa, cujo verdadeiro nome

 é Gabrielle Caire. Correm boatos segundo os quais Manuel

segue as pisadas do pai e os seus esforços políticos serão

 imediatamente anulados por isso”.

 

      ver:   http://bucaco.blogs.sapo.pt/9852.html

09
Out10

DESLEIXO E ABANDONO

Peter

 

                                                                                                             

O Bloco de Esquerda visitou a MATA NACIONAL

DO BUÇACO. Não  gostou. Fala em desleixo,

abandono, falta de cuidado!

Fala em plano de intervenção e reparação  do património.

Vai para a Assembleia da Republica com a proposta.

Os funcionários reduzem-se a CINCO RECLUSOS

da prisão de Coimbra, diz.                                                              

Será o resultado do sapateiro a tocar viola????

Já temos denunciado a situação , a MATA NACIONAL

do Buçaco precisa duma intervençao a sério ,

por quem saiba do ofício, não por curiosos amadores.

As  fundações socráticas não possuem esses predicados !!!

Os municípios também não.

SALVAR A MATA , só com profissionais competentes.

                                                                                                                                           

 

07
Out10

27 de SETEMBRO

Peter

 Bateria de artilharia ( foto gentilmente cedida por Carlos Ferraz)

 

Com a presença do Presidente da Republica comemorou-se

no dia 27 de Setembro o segundo Centenário da Batalha do Buçaco.

Das recriações  levadas a efeito, um testemunho.

 

 

  Disparar  ( foto cedida gentilmente por Carlos ferraz)

Outro aspecto da reconstitução levada a efeito

 no local da batalha.

 

O melhor documentário , (de frente e de tráz)

com uma vénia á Escola Secundária da Mealhada .

VER : 

 

23
Set10

SEGUNDO CENTENÁRIO

Peter

 

            

            200 ANOS DEPOIS

 

Passam no dia 27 de Setembro

200 sobre a Batalha do Bussaco,

uma fase importante da Guerra Peninsular.

Embora  esta batalha só tenha sido validada

após a vitória definitiva de Waterloo e durante

a construção do mito de Wellington, 

que a regista no seu túmulo na Catedral

de S. Paulo, em Londres.

Seja considerada batalha ou escaramuça,

veio a  ser uma referência importante no

contexto das invasões e foi sem dúvida

um momento dificil da história pátria

e das populações que a sofreram.

A lembrança dos acontecimentos duzentos

anos após ,ainda que  limitados a um episódio 

da europa actual deveriam ser pois

um momento de reflexão

sobre o todo que somos e menos manisfestação

de exaltações exacerbadas ou de  patriotismo

serôdio que faze parte da prateleira da história.

 

(ver ,onde foi a batalha  em  http://bucaco.blogs.sapo.pt/

             http://bucaco.blogs.sapo.pt/ )

  

12
Set10

NO PAÍS DAS MARAVILHAS-2

Peter

 

 

PARA BEM DO PRÓPRIO BUÇACO,

....ainda bem que o Buçaco saiu imune á pateguice

 em que alguns incautos o meteram!

...porque  a realidade é que estes prémios

de tipo revistas cor de rosa  de qualidade nula,

 só  trazem despretígio a quem participa e

verdadeiramente não atestam nada nem têm

 garantias de ninguém.

São o espelho do estado deprimente em que se

 vive neste país milagreiro e nada mais.

O Buçaco ou Sintra, ou a Floresta de Laurissilva,

 não fazem parte desta feira de vaidades

 onde tudo é vazio e ôco. São realidades sérias

demais para negócios de circunstância e de conjuntura.

Este não é o caminho certo para colocar o Buçaco

no lugar certo, donde aliás já esteve muito mais perto

do que está hoje.

24
Ago10

NO PAÍS DAS MARAVILHAS

Peter

 

 

Querem por aí que a Mata Nacional do Buçaco seja uma maravilha de Portugal. Coisa mais absurda não há. Há dois séculos pelos menos a Mata Nacional é uma maravilha deste país. Mas nem sequer a palavra maravilha me parece a mais adequada para designar o espaço. Lembra-me logo o Circo Maravilhas do Manuel Guimarães, a fita Saltimbancos e as intrincadas desgraças que fazem letra no fado e lágrimas na choradeira colectiva, que são os oitocentos séculos de história que nos pertencem!

Mas traz-me por outro lado á ideia a figura encantada de Alice no país das maravilhas correndo atrás do coelho e do relógio até acordar do sono.

O senso da mentira bem contada. O sonho . Diríamos hoje, o markting perfeito se não tivéssemos respeito pela sageza e pela imaginação do escritor.

Nada disto é a Mata do Buçaco. Em primeiro lugar, não é maravilha natural. Nada tem a ver com o Parque  da Serra do Gerês, com o vale glaciário da Serra da Estrela, com o Sapal de Castro Marim ou com a Costa Vicentina.

Ao contrário destes espaços ambientais produtos da natureza, o Buçaco é um jardim botânico construído pelo homem.  Um belissimo jardim botânico, depositário de variadas espécies, sem dúvida, mas não deixa de ser um espaço burguês iniciado por frades e continuado por inquisidores e pertença do Estado desde 1834 ano em que acabaram as ordens religiosas. E o Estado, roubada a Mata á exploração dos monges que a plantaram, raras vezes soube tratar dela com decoro e dignidade.

Hoje acontece o mesmo que n'outras crises. Entregue a fundações de partidos políticos ao serviço das suas clientelas, a mata nacional é envolvida numa espécie de concurso de beleza com que alguns sustentam a vida  que levam.

Mas apesar do reino ser pequeno e não ter muros, nem o rei de pé se consegue fazer ver além das velhas praças de Elvas ou Almeida, as nossas fronteiras também artificiais, e tudo isto me parece esforço inglório. Nem o Buçaco sai  dignificado nem a divulgação premiada, seja lá qual for o prémio atribuido. É pouco para o que está á vista!

Se falássemos da classificação do espaço  pela Unesco, isso  sim seria outro assunto , mas desta barrela para  consumo interno e dizer depois que  se fez grande coisa sem fazer coisa nenhuma , não. Quando alguém pegar como deve ser, deve pegar o animal  pelo sítio , não pelas bordas !

06
Ago10

MOINHO DE SULA

Peter

(foto ilustração portuguesa)

 

      ALTO DE SULA E MOÍNHO

 

Tem mais de 100 anos esta imagem que representa

o Moinho de Sula na Serra do Bussaco.

À sua volta desenrolou-se metade da batalha

contra o exército francês de Massena

durante a 3ª invasão

Diferente mas conservado , ainda hoje se encontra

no mesmo sítio sobranceiro à estrada 234

entre o Luso e Mortágua.

(ver também: buçaco.blogs.sapo.pt)

 

10
Jul10

A MESA DOS 100 ANOS

Peter

(foto iIlustração Portuguesa) 

BATALHA DO BUÇACO, 100 ANOS DEPOIS...

 

... como uma  comemoração não se faz a sêco,

eis a mesa de oficiais no almoço ao ar livre

no terreiro do Obelisco em 27 de Setembro de 1910.

Vão cem anos. Sete dias depois  ocorreu a implantação

da República.

Sem outros comentários, cada português

entenda como quizer....mas mais cem anos em cima

e a mesa continua posta .Os régulos , são os mesmos,

melhor, continuam !!!! Tal como as instituições ,

200 anos após.

 

04
Jul10

MEMÓRIA DE CAPIM

Peter

 

Este é em plena serra do Buçaco o Obelisco

comemorativo da guerra peninsular.

Aqui vai ser o cenário das festas (anunciadas)

dos 200 anos. Sendo propriedade

do exército, não terão uma dúzia de soldados

para cortar o capim ?

Tão mal tratadas andam as nossas memórias

que esta não escapa á regra.

Ou será que  a limpeza vai contribuir para o defit???

Coisas do Portugal 2010 !Vamos lá,  puxem pelos galões!

 

Mais sobre mim

foto do autor

VISITAS

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D